SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2000 C47
Mi˙da no Desfile de St. Patrick - Fotografia de Rui Gonšalves

Domingo, 12 de Março de 2000

Se sábado custou a acordar, domingo foi dureza... Mas depressa estávamos todos a almoçar no tailandês do costume. A comida tailandesa, em especial o prato de noodles (massa de arroz) com peixe, não foram muito do agrado da Sá, que teve que compensar no Burguer King.

Decidimos ir a Haight. Estou farto de lá ir, mas nunca estive muito tempo lá e nunca perdi muito tempo nas lojas, porque chego sempre tarde.

Estava uma linda tarde de sol de primavera, mas o vento ainda era de inverno.

Descemos a Market St., onde desfilavam os Irlandeses a comemorar o dia de St. Patrcick, que só é daqui a uma semana. Mas pronto, no Porto também se comemora a passagem de ano nos Reis.

Mas no Porto, somos portuenses e portugueses. Porque ali no desfile os irlandeses tinham olhos em bico e falavam espanhol. Claro que os portugueses também tinham que se mostrar e na falta de melhor estávamos lá nós... Em pouco tempo estávamos a ser filmados para a TV, mas nem sei se não era na tanga, porque nós estávamos a gozar com toda a gente.

Não havendo autocarro na Market fomos para a Mission. O trânsito estava todo parado e o autocarro estava no meio da rua, mas o condutor deixou-nos entrar e sem pagar. Ninguém percebeu, se ele realmente disse par não pagarmos ou se para entrarmos depressa, mas em caso de duvido optamos pala primeira resolução.

Estava tudo muito divertido. Uns americanos que se sentaram entre nós e uns franceses que lá vinham, ficaram com a sensação que estavam no estrangeiro e a cara deles, era "de que é que estes gajos estão a falar?".

Haight estava ao rubro. Carros descapotáveis a debitar hip-hop e R&B aos berros, uns verdadeiros pretty-flies. Entrámos em quase todas as lojas desde a paragem até a Amoeba. A diversidade de roupa em segunda mão e tatuagens era enorme. Decidimos marcar uma festa dos anos 60 e ir comprar a roupa mais maluca que encontrarmos ali naquelas lojas.

Camisas às flores verde fluorescentes, com umas calcas à boca de sino brancas com grandes rosas e uns sapatos de tacão alto... Já me estou a imaginar. A mim e ao resto do pessoal... Depois mandamos as fotos para a directora do programa do ICEP a dizer que já nos integramos na sociedade de SF.

Quando chegamos à Amoeba, estava tudo derreado. O Mário, André e a Sá, foram-se embora e nós ficámos mais um bocado perdidos no meio dos milhares de CDs em segunda mão...

Voltámos para casa. Como os dias já estão mais longos, já não nos apercebemos tanto das horas... Mas já era tarde.

Arrumei as coisas e fui apanhar o autocarro para Corte Madera. Estive quase uma hora à espera de autocarro, porque acho que havia problemas de trânsito. Mas ganhei um boné dos Oakland Riders que alguém se esqueceu no bus... O motorista não o queria, também...

Devia de ser dos 49ers, a equipa de futebol americano de SF. Mas acho que os raiders é uma equipa de beisebol... ou não? Não interessa...

Fui pôr uns rolos a revelar (depois mando as fotos) e deitei-me enquanto descarregava umas musiquitas e o mail.

Esqueci-me de vos dizer que sábado fez dois meses que estou na terra das oportunidades.



Índice: Página I1 Col. 1
Próxima Crónica: Página C48 Col. 1